MINHA CONTA

Endereço de e-mail

Senha

>
DE: R$ 160,00
POR: 130,00

ou 12x de R$ 11,88 com juros

COMPRAR

Livros

COMENTÁRIOS MORAL E DOGMA EM PORTUGUÊS POR HENRY C. CLAUSEN & A ESCOLHA DO MESTRE

COMENTÁRIOS MORAL E DOGMA EM PORTUGUÊS POR HENRY C. CLAUSEN & A ESCOLHA DO MESTRE

DISPONIBILIDADE:  IMEDIATA  | 

AUTOR:  HENRY C. CLAUSEN & IR.: FRANCISCO CARLOS CAMPOS; IR.: ANTONIO FERNANDES TEIXEIRA

mais informações

COMENTÁRIOS MORAL E DOGMA EM PORTUGUÊS POR HENRY C. CLAUSEN & A ESCOLHA DO MESTRE

DISPONIBILIDADE:  IMEDIATA  | 

AUTOR:  HENRY C. CLAUSEN & IR.: FRANCISCO CARLOS CAMPOS; IR.: ANTONIO FERNANDES TEIXEIRA

mais informações

As combinações acima não possuem estoque.

de: R$ 160,00

por: R$ 130,00

ou por 12x de R$ 11,88 com juros

Quantidade

+

-

COMPRAR

Ver outras formas de pagamento e parcelamento

Frete e prazo

Frete e prazo

calcular

Não sei meu cep

Descrição do Produto

COMENTÁRIOS MORAL E DOGMA DE HENRY C. CLAUSEN


Moral e Dogma do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria, ou simplesmente Moral e Dogma, é um livro de ensinamentos maçônicos publicado pelo Conselho  Supremo, Trigésimo Terceiro Grau, do Rito Escocês, Jurisdição do Sul dos Estados Unidos. 

Foi escrito por Albert Pike e publicado primeiramente em 1872. Houve diversas edições subseqüentes, mas a posse era exclusiva ao maçom, não sendo distribuído, ou vendido, ao não iniciado.

O livro é composto por orientações e ensaios de Pike, que recopilou e estabeleceu as bases filosóficas, sociológicas, históricas, políticas, simbólicas e religiosas do Rito Escocês Antigo e Aceito. Elabora ensinamentos para os 33 graus do Rito Escocês. Pretende ser um guia para os que incorporam o Rito Escocês, e explica a compreensão de Pike sobre o simbolismo e a alegoria dos graus maçônicos.

Trata-se de uma obra imponente pelo volume e pelos ensinamentos compilados, 861 páginas de textos e ensinamentos e mais um índice de referências com, possuindo trinta e três capítulos, cada um que discute o simbolismo filosófico de cada grau da maçonaria em detalhes.


PREFÁCIO DA OBRA COMENTARIOS SOBRE MORAL E DOGMA

“Todos estão completamente livres para rejeitar e discordar de qualquer coisa aqui que possa lhes parecer falsa ou insalubre.”

Embora discuta as minúcias dos rituais maçônicos em muitos detalhes, escreve-se de com linguagem arcana para não revelar os segredos maçônicos. Os movimentos rituais e os objetos são nomeados, mas não descritos.

Uma cópia de Moral e Dogma era dada a cada membro novo da Jurisdição do Sul até 1974, quando o membro atingia o 14°. O livro foi substituído inicialmente pelo Comentário de Clausen Sobre Moral e Dogma, escrito por Henry C. Clausen, 33°, Grande Comandante Soberano, sendo o livro recente do Novo Rito Escocês da Jurisdição do Sul dos Estados Unidos da América em 1974.

O Livro Comentários Sobre Moral e Dogma contém aproximadamente 230 páginas em Português trazendo todos os Graus do 1º ao 32º do Rito Escocês Antigo e Aceito, comentado e com suas conclusões originais feitas por Henry C. Clausen, 33°. 

A ESCOLHA DO MESTRE

 

À GLÓRIA DO GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO

O leitor vai notar nela referências à Ordem Rosacruz e à Maçonaria. Como professamos ao mesmo tempo as duas escolas iniciáticas, colhemos frutos – e bons frutos – nas duas escolas.

O que nos levou a escrevê-la, foi notar que muitos Mestres podiam fazer as suas escolhas positivas e não a faziam. Afinal, a Maçonaria é também uma escola de líderes.

Todos nós temos direito a ser o que quisermos ser, o que escolhemos ser. Pode-se dizer até que a vida em grande parte é o que fazemos dela, ou seja, “cada um é aquilo que pensa, quer e se esforça para ser”.

Disseram James Allen e Ricardo S. Marques

O aforisma, “Como um homem pensa em seu coração assim ele é,” não somente abrange todo o ser de um homem, mas é tão compreensivo ao ponto de atingir cada condição e circunstância de sua vida. Um homem é literalmente aquilo que pensa, sendo seu caráter a soma completa de todos os seus pensamentos.

Assim como um jardineiro cultiva seu canteiro, mantendo-o livre de ervas daninhas, e plantando as flores e frutos que ele requer, igualmente pode um homem cultivar o jardim de sua mente, arrancando e jogando fora todos os pensamentos errados, inúteis e impuros, e cultivando com perfeição as flores e frutos de pensamentos retos, úteis e puros.

Os autores
Campo Grande, janeiro de 2014